Comodidade do não deslocamento, tempo livre para pesquisar o que quiser, frete na porta da sua casa, são facilidades que atraem a pulverização dos e-commerce.

Os ramos mais expandidos são e-commerce de roupas ou acessórios da moda. Os sites já detalham os tamanhos das peças o que reduz bastante a questão do erro no tamanho. Facilidade de pagar para receber na porta de casa é uma grande vantagem que favorece à compra virtual.

Lojas físicas acabam abrindo a versão virtual da mesma. E há aquelas que só existem na internet, principalmente pelo baixo custo de infraestrutura e nem sempre a necessidade de estoque..

 

Como montar loja virtual de roupas de resultado?

 

Ao considerar a grande concorrência atual, há uma série de pontos a serem levados em consideração.

Confira 10 dicas sobre como montar loja virtual de roupas.

 

1: Layout

Layout consiste na estrutura presente na tela no momento em que usuários entram no e-commerce. Imagens, textos, gráficos, links e vídeos representam alguns exemplos dos componentes que formam este elemento, considerado indispensável, conforme indicam os principais e-books que traçam etapas de como montar loja virtual de roupas.

O layout engloba os elementos e a forma como se demonstram em determinado espaço na web. Para conseguir se sobrepor à concorrência é preciso contratar trabalhos de designer, especialista em implantar design sofisticado.

Atualmente não basta fazer mais do mesmo. Necessário criar a própria identidade, usabilidade e taxonomia.

 

2: Navegação no Site

Simplicidade – caminho correto para montar e-commerce de roupas. Em termos práticos a navegação às ferramentas deve ser simples, ao ponto da pessoa sem costume de navegar conseguir acessar os produtos e efetivar a compra tranquilamente.

 

Ao organizar e-commerce respeite o posicionamento dos elementos principais, tais como: Login, carrinho de compra, central de atendimento, campo de buscas por produtos, entre outros.

Padronizar como os grandes comércios online é indicação importante para abrir comércio online de vestuários, mas procure não copiar de modo idêntico, visto que a sua loja também precisa de personalidade própria.

 

3: Menu da Loja

Principal guia da navegação do usuário está no menu. Por isto, precisa ser apresentado em local específico, de maneira simples e intuitiva.

Aconselhável não colocar informações nas duas laterais do banner principal para evitar excesso de conteúdo informativo, resultando no design poluído e ineficaz, que cansa os olhos dos visitantes.

Atenção! Qualquer produto precisa ficar catalogado por categorias e subcategorias, por exemplo, nome do produto e marca do produto.

4: Rodapé e Conteúdo Adicional

As maiores lojas virtuais do Brasil apresentam informações adicionais no rodapé da página organizadas de maneira simples. Por exemplo: Dúvidas frequentes, cadastro do e-mail, selos de segurança, atalhos às redes sociais e formas de pagamentos.

Lembre-se de que o excesso de conteúdo informativo retira a atenção do comprador porque dificulta pesquisas por produtos desejados. Isso acarreta abandono da página e diminui a taxa de conversão, práticas não aconselháveis.

 

5: Fotos

Foto é única forma do cliente observar seu produto. Caso o bem à venda não tenha imagem, dificilmente o comprador vai desejar adquirir no e-commerce.

 Imagem necessita tamanho e nitidez em ótimas condições. Quanto maior a qualidade da foto, mais chances do produto ser desejado por clientes. Porém, tome cuidado no excesso de bordas.

 Do contrário as fotografias perdem profundidade nos buscadores. Vale ressaltar ainda o zoom, um item obrigatório. Cliente usa tal recurso para buscar detalhes na roupa: Acabamento, tipo de tecido, estampas, bordados, entre outros.

 

6: Descrição dos Produtos e da Loja

Para que seu produto seja encontrado de modo fácil nos buscadores, o título deve conter palavras-chaves que definem as características principais.

 Quanto mais preciso for a titulação, maiores as chances da roupa ser localizada nos buscadores. Investir em textos bem construídos faz toda diferença no SEO de um site.

 A descrição da roupa precisa estar detalhada, demonstrando inclusive a tabela de medidas. Além disso, deixar disponível o tipo de acabamento da peça e seus detalhes, como estampas ou bordados, por exemplo.

 

7: Central de Atendimento

Os atendentes tem que ter conhecimento dos produtos e preços. Do contrário, não esclarecer dúvidas, além de passar uma imagem ruim, não gera credibilidade.

Compradores esperam de uma Central de Atendimento, cortesia e calma para resolver os problemas que existem no universo das vendas de produtos ao varejo.

 

8: Garantia de Troca Gratuita

Conforme o PROCON (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor), as compras que acontecem no mundo online possuem os direitos aos consumidores idênticos das aquisições no comércio físico.

 Dispor deste serviço, aos casos nos quais produtos chegam com problemas na casa de clientes, por exemplo, traz credibilidade à loja virtual.

 

9: Múltiplas Opções de Pagamento

Um e-commerce bem construído, oferece múltiplas opções de pagamentos, como cartão, boleto, parcelamento, integraçoes com PayPal, PagSeguro.

Os donos do e-commerce devem escolher ferramentas que trazem maior custo-benefício, pagando o menos possível de taxa para cada operação financeira.

 A nota fiscal também consiste em processo básico para qualquer loja online. 

 

10: Selos de Segurança

Comprar de maneira segura na internet simboliza vantagem considerável, em principal por causa do constante aumento de ataques hackers que visam clonar dados pessoais ou financeiros de clientes para aplicar golpes na praça.

É importante a inserção de um certificado de SSL para garantir que o site esteja protegido, principalmente onde ocorrem transações bancárias.