São Paulo Fashion Week, a maior semana de moda da América Latina, que recebe famosos de todos os meios, terá sua próxima edição, a 46ª, entre os dias 22 e 26 de outubro e a organização do evento anunciou que haverá mudanças tanto em seu formato quanto em sua localização.

O SPFW, que contou com show de Anitta na edição passada, costumava revezar suas edições entre o pavilhão da Bienal, no parque do Ibirapuera, e o Parque Villa-Lobos e agora anuncia que agora passa a acontecer num galpão industrial no bairro Vila Leopoldina. Chamado ARCA, o imóvel de 9 mil m² passa a receber o evento, pelo menos até 2020. "Com Alma para se reinventar constantemente em direção ao futuro que queremos, o SPFW, que apresenta coleções dos principais estilistas brasileiros, se lança a partir desta edição ao desafio de ocupar novos territórios em São Paulo, Vila Leopoldina - espaço ARCA, novo eixo de fomento à inovação, tecnologia, transformação e economia criativa, ressignificando o espaço principal do evento", anunciou Paulo Borges, criador do evento, em texto anunciado como sua primeira coluna para o FFW, site oficial do SPFW.

Ingressos vendidos para programações paralelas

Em uma guinada também em seu formato, o SPFW anuncia ainda que desfiles de moda continuarão tendo entrada destinada somente a convidados, porém haverá programações paralelas no evento, que incluem workshops e mesas de debate, cuja entrada terá ingresso vendido. A cobrança de ingressos na semana de moda de SP é algo inédito. Antes, mesmo a entrada nos pavilhões principais era restrita a quem ganhava convite.

Evento tinha tido parte vendida a grupo árabe

Sob o comando do empresário Paulo Borges (da Luminosidade, braço do grupo Inbrands, que está por trás de marcas como a Ellus e a Richards) o São Paulo Fashion Week, que foi palco de gravação de novela em sua última edição, teve 51% foi vendido, em abril deste ano, para a empresa IMM Participações, propriedade do fundo de investimentos árabe Mubadala Development Company, com sede em Abu Dhabi e detentora de parte de eventos como o Rock in Rio, Cirque du Soleil e Rio Open. Esta foi considerada a maior guinada do evento desde a sua criação, há 23 anos. Segundo a Inbrands, essa associação tem o objetivo de expandir o portfolio da SPFW para além de uma semana de moda. Ao longo dos anos, o SPFW tem acumulado perdas - de glamour e de patrocínios - e em 2017 o evento teve cortado o patrocínio da Prefeitura da cidade de São Paulo. A venda e a mudança de formato dão novos ares à principal semana de moda brasileira.